Pular para o conteúdo principal

Páginas

Enquanto houver uns olhos que reflectem ... Poema de Gustavo Adolfo Bécquer

Enquanto houver uns olhos que reflectem
outros olhos que os fitam,
enquanto a boca responda a suspirar
aos lábios que suspiram,
enquanto sentir-se possam ao beijar-se
duas almas confundidas,
enquanto exista uma mulher formosa,
haverá poesia!

Comentários