Pular para o conteúdo principal

Páginas

Em Qualquer Parte Um Homem ... Poema de António Ramos Rosa

Em qualquer parte um homem
discretamente morre

Ergueu uma flor
Levantou uma cidade

Enquanto o sol perdura
ou uma nuvem passa
surge uma nova imagem

Em qualquer parte um homem
abre o seu punho e ri

Comentários