Pular para o conteúdo principal

Páginas

Noturno ... Poema de Florbela Espanca

NOTURNO
Amor! Anda o luar todo bondade,
Beijando a terra, a desfazer-se em luz…
Amor! São os pés brancos de Jesus
Que andam pisando as ruas da cidade!
E eu ponho-me a pensar… Quanta saudade
Das ilusões e risos que em ti pus!
Traçaste em mim os braços duma cruz,
Neles pregaste a minha mocidade!
Minha alma, que eu te dei, cheia de mágoas,
E nesta noite o nenúfar dum lago
Estendendo as asas brancas sobre as águas!
Poisa as mãos nos meus olhos com carinho,
Fecha-os num beijo dolorido e vago…
E deixa-me chorar devagarinho…

Florbela Espanca

Comentários